Hospital Daher inova em odontologia hospitalar.

 

Desde 2010, o Hospital Daher inovou ao oferecer um serviço pioneiro na área de odontologia hospitalar, que vai além do atendimento sob demanda, começando com o plantão nas UTI´s e depois evoluindo para uma rotina diária de atuação. Tal inovação antecipa uma resolução da Anvisa que normatizou sobre o assunto em 2013, como também um projeto de lei de 2008, que está em tramitação no Senado, depois de ser aprovado na Comissão de Assuntos Sociais, que estabelece a obrigatoriedade da presença do cirurgião dentista em todas as Unidades de Terapia Intensiva, em hospitais públicos e privados.

Hoje no Daher seis dentistas atuam no hospital, todos habilitados em odontologia hospitalar e laserterapia. Além da UTI, os andares de internação da Oncologia, da Geriatria e da Clínica Médica também são atendidos. A Dra. Claudia Cristiane Baiseredo de Carvalho, coordenadora do serviço de Odontologia Hospitalar, em uma parceria do Hospital Daher com o CEMOI- Odontologia Hospitalar e Domiciliar, conta com entusiasmo os resultados dos serviços no hospital: “A nossa UTI, hoje, possui um protocolo eficaz de higiene oral e isso, junto com outras ações, nos favorece a ter baixos índices de pneumonia associada à ventilação. Ficamos quatro meses sem nenhuma ocorrência”. A odontologia hospitalar atua, ainda, em outras prevenções, como na de úlceras traumáticas causadas por mordeduras que podem evoluir para quadros de infecção. Dentro da UTI, há laser para tratamentos dentários e também uma plastificadora a vácuo, responsável pela confecção de placas de silicone usadas por esses pacientes.

Qual a importância da odontologia hospitalar na UTI e no hospital? A odontologia é a especialidade que mais conhece a boca e suas alterações e, em diversas situações, é na mucosa oral que as infecções começam e os médicos de outras especialidades podem demorar a diagnosticar algum problema que pode evoluir para infecções graves. “Muitas vezes nós temos alterações na mucosa oral como candidíase; herpes; citomegalovírus; infecção de origem odontogênica e muitas outras de origem bucal. E o dentista pode diagnosticar onde está o problema com mais facilidade”, completa a Dra. Claudia. De acordo com ela, o próximo passo que já está sendo articulado para a melhoria no atendimento é o aprimoramento da integração entre a odontologia e a geriatria e entre a odontologia e a oncologia. Os resultados são muito satisfatórios. “Nós queríamos provar que a odontologia pode fazer muito mais do que uma resina estética, a odontologia pode salvar vidas ao fazer um diagnóstico preciso”, completa a especialista.

Para o Dr. Rodrigo Conti, gestor médico da Unidade de Terapia Intensiva, atualmente, profissionais de saúde do mundo inteiro estão preocupados com o problema da resistência bacteriana devido ao fato de vários antibióticos não terem o devido efeito terapêutico. “Se houver uma patologia bucal negligenciada, pode ser trágico no combate a infecções de pacientes críticos, pois pode ser fonte de infecção persistente demandando esquemas antibióticos variados e, neste cenário, o odontólogo é indispensável”, afirma o médico.

O CEMOI, parceiro do Hospital Daher, inclusive, já ganhou prêmios pelo pioneirismo, por ser um dos primeiros a oferecer um curso de capacitação na área e tem até lista de espera de candidatos. O Curso de Habilitação em Odontologia Hospitalar já recebeu três prêmios pela qualidade do curso e assistência prestada aos pacientes do Hospital Daher. Em maio de 2015 foi agraciado com o Prêmio Empresa do Ano, na categoria Melhor Qualidade em Cursos, e em novembro do mesmo ano, com o Prêmio Melhor Empresa, na categoria da América Latina, em Santiago, no Chile. Este ano recebe, novamente, em São Paulo, o Prêmio Melhor Empresa do Ano – Melhor Qualidade em Cursos e Melhor Assistência aos Pacientes. E também há outra indicação para um prêmio internacional de qualidade, em novembro, na Cidade do México.